28 de fev. de 2020

DOIS VESTIDOS


São dois vestidos... um azul, qual dia
Ambos são belos, ambos têm magia,
O meu ser os conserva retratados,
Um tem a cor fatal dos meus pecados


Que desponta a cantar, pleno em beleza,
O outro vermelho, como na agonia
Da tarde, tinge o céu a natureza.

Mas são ambos diversos... com certeza
Um tem a cor serena da alegria
E o outro a cor sangrenta da tristeza.

Lembrando o tom que cada qual externa
E que dentro da vida assim se exprime:

Enquanto o outro tem a luz eterna
De um céu de amor que salva e que redime...

NA IDADE MÉDIA


Sonhei um dia que estava
Nos tempos da Média Idade;
Ivanhoé era e lutava
Num combate na cidade,

Me assistia uma boneca

E uma linda flor serena:
Era a primeira a Rebeca
E a outra, Lady Rowena...

Como um nobre numa guerra,

Ante o velho João “Sem Terra”
Eu garboso desfilei...

Por Ricardo combatia

Enquanto o povo pedia:
“Vingador sejas, do rei!”